domingo, agosto 16, 2009

Era uma vez um menino... e uma menina....

Toda vez que se beijavam era diferente pra ela, a menina do rabo de cavalo nunca havia se acostumado com isso, sempre era como se fosse a primeira vez: repleta de ansiedade, curiosidade, desejo, insegurança, magia e muita vontade. O abraço dele era mais do que um porto seguro pro coração da menina de rabo de cavalo, ainda mais nesses períodos quando os problemas resolvem matar, as saudades e aparecem todos juntos; quando o dia chegava teoricamente ao fim, pra ela era o começo. Ela ia vê-lo, e mesmo isso fazendo parte da sua rotina por meses, ela jamais enjôou, jamais duvidou. Quando eles se aproximavam e o vento batia no rosto dela, o seu rabo de cavalo fazia cócegas no rosto deles. Ela adorava o sorriso dele quando isso acontecia, ele tinha vários sorrisos e ela conhecia cada um deles. O sorriso do cabelo dela no rosto dele, era um pouco tímido, parecia que aquele simples fato provocava uma imensidão de pensamentos nele, mas ela nunca ousou perguntar, porque palavras só estragam o momento. A menina do rabo de cavalo sabe o quanto as coisas mudaram na vida dela ao longo desse ano, e ainda sim, sente-se a mesma menina do rabo de cavalo de sempre. Ela não saberia mais viver outra rotina. O menino da barba por fazer sempre sentiu algo especial por aquela menina de rabo de cavalo, ele a enxergava como alguém diferente das outras, mas não sabia definir ao certo o que era aquele sentimento. As vezes ele perguntava-se qual o motivo dele estar com ela, e não ouvia respostas. Quando ela declarou-se pra ele, ele entendeu tudo. E deixou de ser idiota, pra ficar com ela, a menina que merecia ele, apesar de acreditar não merecê-la. Ele adorava roçar sua barba no rosto claro e delicado dela, adorava quando eles estavam próximos e o vento batia no cabelo dela fazendo cócegas em seu rosto. Ele sorria. Sorria porque amava o cheiro do cabelo dela, e a textura, e a cor. Sorria porque ele lembrava-se do quão próximo eles estavam, sorria porque sabia que logo depois ele ia beijá-la, e sorria porque ele não lembrava-se nem o nome dele quando estava daquele jeito com ela, mas o vento batia e o cabelo fazia cócegas, ai ele voltava a realidade e entendia o momento. Uma menina esperando o ônibus do outro lado da rua observava uma menina de rabo de cavalo de mãos dadas com um menino com a barba por fazer. Ela enxergou um algo mais entre os dois, como um elo invisível. Eles eram bonitinhos em suas particularidades, mas juntos formavam um casal lindíssimo. Mesmo vendo de fora, via-se sentimento. A menina esperando o ônibus ao observar o casal do outro lado da rua ouviu uma voz na sua cabeça que parecia definir os dois: ''e todo mundo diz que ele completa ela e vice e versa, que nem feijão com arroz''.

1 Lembranças:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

O amor faz esse tipo de coisa com a vida daqueles que acreditam e sentem o amor. Lindo seu post, adorei! Adorei mais ainda sua visita, suas palavras e seu carinho.

Espero não perder contato, viu?

Beijo grande, menina linda.

Rebeca

-