quarta-feira, abril 14, 2010

Cálido

Sinto-te cálido em mim
sedento das minhas curvas
faminto dos meus desejos
Abres a boca e sacias tuas luxúrias
tocas o meu céu
(o céu dos pecadores)
Libertas tuas mãos
e apalpas as minhas sandices
Seguras meus segredos íntimos
Faz de ti loucura minha
E de mim faz tuas delícias
Pois agora não há limites
Só êxtase e infinito!


(By Cau Alexandre)

9 Lembranças:

Luciana P. disse...

Linda poesia! Cheia de desejo e sensibilidade.


Miss, se quiser mandar a fotinho, ainda dá tempo. Amanhã vou montar o post. Deve sair dentro de dois dias. Beijos!

Xanele disse...

Uiii... q loucura

beijos Xan

EU SOU NEGUINHA disse...

Eitha lele,risos...
Poderosaaaaaaaa

Sophi para os íntimos disse...

Que lindo,realmente cálido,deu pra viajar na imagem...

Beijo amada minha!

Menina disse...

AMEI seu blog!! Me empresta?! hehhhe..

Impossível não seguir!!

Beijitos!!

Pelos caminhos da vida. disse...

Desculpe a invasão, mas por onde ando encontro comentários seus, e pensei porque não visitar esse espaço? E cá estou, gostei e já me tornei seguidora daqui.

Quer saber porque vc é E-S-P-E-C-I-A-L???

Te espero lá no meu cantinho.

beijooo.

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
Olaaa Miss linda, rs... mudou sua imagem do layout? Meu layout do blog "Pes y sapatos " tem a mesma imagem, rs

Bjo enormeeeeee!

Daniel Savio disse...

Hua, kkk, ha, ha, conselho, luxuria não se sacia, ela apenas recebe uma pequena pausa...

Pelo menos quando bem feita.

Fique com Deus, menina Miss Simpatia.
Um abraço.

Almeida Lucius ™/ Ulisses Reis ® disse...

Aqui estou tb, vou seguir vc pois me é doce e sensual teu Blog, beijos !!!

Desejos e Delírios II

De tudo que é normal
De tudo que é formal
E o que não é animal
Desprezo e provoco
Pois sou única
É fenomenal
Viver é uma aventura
Quero muita ruptura
Nada de tradicional
Muita e muita loucura
Pois eu sou a mulher
Excepcional
Desafio os anjos
Deito e beijos
Os meus demônios
Quem venha o asco
A raiva e o orgulho
Neste mundo eu do alto
Mergulho
Pois eu sou esse belíssimo
Ser
Nada me estremece
Nada me faz suar
Porque minha geografia
É e sempre será
Minha biografia

Ulisses Reis®
23/02/2008