segunda-feira, março 22, 2010

Vou..


Vou andar descalça pelas estrelas e colher flores no universo. Vou levar meus versos pra qualquer lugar, que seja longe da tua constelação. Vou me afastar, aos poucos, numa chuva de corpos celestes, viajar sem destino, brilhar de sol e de lua e, como estrela-cadente cair em você. Vou puxar os cometas e, te dar os anéis de Saturno, me afogar no mar da tranqüilidade e me ocultar, no lado escuro da Lua. Vou me perder de você, pra nos encontrarmos numa dobra do tempo qualquer, em que sejamos um só infinitamente...


4 Lembranças:

Daniel Savio disse...

A gente é um universo compacto com todas as tuas estrelas, os seus sois e buracos negros...

Fique com Deus, menina Miss Simpatia.
Um abraço.

EU SOU NEGUINHA disse...

Uiiiiiiiiiiii,ta inspirada hein?
Beijos em ti

Hod disse...

Lindos versos onde teus sentimentos iluminam as mais distantes galáxias.

Grato por sua visita e a doçura das fragrâncias que deixas por minha atmosferas.
Legal tb esse carinho que tens pelo povo dessa terra.
Sabe que Porto Alegre apesar das mazelas que assolam as grandes metrópoles ainda possui charme e muita sedução.

Beijo pra vc Miss.

Hod.

Alexandre Boarro disse...

Sim...o texto é lindo.
Sim... é expressivo.

As estrelas cadentes somente existem quando abrimos os olhos e resolvemos enxergar elas.

Tudo se torna visivel quando acreditamos.

É preciso acreditar: No amor, na vida, na dor e mentira.

Tudo faz parte!!!

Adorei..


Beijos Estrelados

Alexandre Boarro