segunda-feira, outubro 25, 2010

Desejos...


Meu corpo pede teu corpo
E pede com tanta avidez
Que só de pensar-me em teus braços
Estremeço, vibro, enlouqueço de vez...

Meu corpo pede teu corpo
E no simples toque de nossas mãos
Sinto arrepios, solto faíscas
Na exata medida da minha atração...

Meu corpo pede teu corpo
Meus lábios se abrem para os beijos teus
São toques, mordidas, suaves, vorazes
Teus lábios que sugam e devoram os meus...

Meu corpo pede teu corpo
Me aninho por inteira no teu peito
Me enrosco, me encosto, me aperto, me achego
Te quero, te puxo, te sinto, te estreito...

Meu corpo pede teu corpo
São agora carícias atrevidas, sem pudor
São mãos que exploram ensandecidas
Nossos corpos que se entregam por amor...

Meu corpo pede teu corpo
Olhos nos olhos, fixos, perplexos, comovidos
Reluzem, brilham, explodem, espelham
Expressam toda a fúria dos desejos reprimidos...

Meu corpo pede teu corpo
E então estamos na mesma louca sintonia
Pulsando, vibrando, gritando de prazer
Em movimentos cósmicos, na mais completa alegria...

Estás assim dentro de mim, estou em ti
Num leito imaginário, em algum ponto do infinito
E tão grande, tão intenso nosso amor
Que o universo conspira silencioso ante nossos gritos...

4 Lembranças:

Daniel Savio disse...

Mas penso que cada resposta que o toque dele, no corpo dele também tenha uma contra resposta, pois ele também está com a origem do desejo na frente dele...

Acho que compliquei um pouco.

Fique com Deus, menina Miss Simpatia
Um abraço.

Crys disse...

Jesus Luz me abana!!!A essa hora da manhã e eu aqui já pegando fogo...kkkkk...Bjs minha lindona, adoro-te...

Serge disse...

Lindo ;)

bj doce

Almeida Lucius ™/ Ulisses Reis ®/Heleno Vieira de Oliveira disse...

Linda e maravilhosa tua poesia, vim carinhar voce como vc me faz e saiba que voce é tudo de bom, D+, te amo, beijos !!!!


Vontade

Meu ser, teu corpo
Se fundem no pensar
Pode ser que no amar
Não é ilusão
É avidez do coração
Que nos leva
E faz um atar
O outro no pensar
E você vem de lá
Me encontra
Com meu olha
Teu corpo
Meu pensar
Pois nele reside
Esse teu lindo
E libidinoso
Olhar
Vem no meu
Ser com o olhar
Se deixa levar
Dança ao chegar
Devagar movimenta
Esse teu corpo
Luxuria no olhar
E eu teu ser
No pensar
Morde lambe
Sem parar
Eu um ser pulsante
Vem teu corpo
Num instante

Ulisses Reis®
26/10/2010

Para Mi§§ §impatia